Entrar

Esqueci minha senha

Cadastro


15
dez2013

Defensores ecológicos. Alunos e professores unidos pela vida

Compartilhar com

Defensores-ecológicos1Uma das iniciativas mais importantes envolvendo educação socioambiental e sustentabilidade em realização no Espírito Santo e no Vale do Rio Doce está literalmente fazendo escola.

A prefeitura de Colatina/ES – uma das principais cidades do Vale do Rio Doce – criou, em 2012, o projeto Defensores Ecológicos com o objetivo de capacitar comunidades, escolas e alunos das redes municipal, estadual e federal, nos âmbitos público e privado, abrangendo um universo de 15 mil estudantes, motivando-os a aprender como multiplicar ações em defesa da natureza e do meio ambiente junto às suas famílias e às comunidades das áreas onde vivem.

O projeto é pioneiro e envolve dezenas de professores, coordenadores escolares e diretores de escolas, que são, também, capacitados a promoverem atividades relacionadas à preservação ambiental, ao convívio social e à sustentabilidade. Alunos e educadores estudam, debatem, atuam e promovem dezenas de atividades como defensores ecológicos.

A ideia é simples e executada de forma envolvente. Todos são estimulados a adquirir conhecimentos e a desenvolver habilidades próprias que são multiplicadas, com a comunidade em geral, em busca de mudanças de posturas no dia a dia e em relação com o meio ambiente, promovendo, com isso, a construção de uma vida melhor e mais saudável.

O projeto foi iniciado, experimentalmente, com a participação de 300 estudantes e cerca de 200 educadores pedagógicos, coordenadores escolares e professores com representatividade nas unidades escolares selecionadas. Foram envolvidos alunos das sétima e oitava séries do Ensino Fundamental e alunos do segundo e do terceiro anos do Ensino Médio.

Em cada escola, a capacitação e a formação ambiental envolveram, inicialmente, uma dupla de alunos. Após essa capacitação, orientados por professores e educadores ligados ao projeto, os alunos lideraram em seu ambiente escolar uma série de atividades ligadas à preservação ambiental, como jogos coletivos, plantio de mudas, recuperação de áreas degradadas, exposições, concursos, mostras de produtos ambientais, criação artesanal com materiais naturais, exposições diversas, oficinas ecológicas e apresentações de peças teatrais que tivessem como tema a preservação ambiental.

Dessa forma, e com essas atividades, atuaram como agentes multiplicadores, ampliando e repassando infor­mações para todo o ambiente da escola em que atuam, atingindo com isso milhares de outros alunos que passaram a se tornar, assim, Defensores Ecológicos.

Ao mesmo tempo, um trabalho paralelo foi realizado: os Defensores Ecológicos começaram a atuar – orientados por professores e educadores – também fora de seu ambiente escolar. Com isso, a ação se estendeu ao ambiente familiar e à toda a comunidade no entorno da escola, iniciativa que atingiu de forma positiva mais de 1.500 pessoas.

Os Defensores Ecológicos realizaram diversas e múltiplas atividades, e uma das mais importantes e marcantes foi a visita que dezenas de seus integrantes, em grupos, fizeram ao famoso Instituto Terra, localizado no município de Serra dos Aimorés – localizado a 80 quilômetros de Colatina – e liderado pelo ecologista e fotógrafo Sebastião Salgado e por sua mulher Lélia Salgado.

Em ônibus especiais, os Defensores Ecológicos passaram um dia inteiro no Instituto Terra aprendendo noções de plantios de hortas e de mudas, e manejo da terra, e trocaram informações com os técnicos do Instituto e com o próprio Sebastião Salgado. Salgado explicou os objetivos do Instituto, sua paixão pela natureza e recebeu informações sobre o funcionamento dos Defensores Ecológicos, elogiando a iniciativa do prefeito de Colatina, Leonardo Deptulski, que revelou seu empenho “em fomentar em toda a rede escolar do município a preocupação com o meio ambiente, possibilitando ao mesmo tempo a alunos e professores e educadores escolares a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de habilidades a serem multiplicadas com a comunidade em geral na construção de um ambiente sustentável.”

Salgado recebeu alguns materiais do projeto Defen­sores Ecológicos das mãos do prefeito e dos jovens estudantes, entre os quais a bolsa retornável utilizada em compras e as garrafas PET adaptadas e distribuídas entre as famílias e as comunidades atingidas pelo projeto para o recolhimento de óleo usado de cozinha, amenizando assim um dos principais problemas ecológicos da região, que é a poluição causada pelo despejo em pias, ralos e cursos d’água, de forma contínua e indiscriminada, desse óleo usado. Mais de 50 mil bolsas e garrafas PET adaptadas para o recolhimento de óleo já foram distribuídas. Os alunos visitaram todas as dependências do Instituto Terra, onde milhares de mudas estão sendo formadas para replantio nas margens do rio Doce, um dos locais mais degradados do país, em seu curso de 952 quilômetros pelos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Uma das iniciativas dos Defensores Ecológicos e da prefeitura de Colatina é aproveitar esse óleo como matéria-prima de uma fábrica de sabão, cujos resultados financeiros ajudarão na ampliação do projeto. Para o prefeito da cidade, o Defensores Ecológicos “é uma iniciativa pela qual nós temos o maior carinho. Fico muito feliz quando vejo que essa ação está dando excelentes resultados na prática, ampliando substancialmente a consciência ecológica de parte expressiva dos alunos da rede de ensino da cidade e da região.”

A mesma empolgação com os resultados das atividades dos Defensores Ecológicos é manifestada pela coordenadora do projeto, a bacharel em ciências biológicas Melise Alves Bravo, que trabalha com uma equipe de sete educadores. Para ela “é uma felicidade total poder ver os alunos motivados – com brilho nos olhos – em defender a natureza e agir em favor do meio ambiente e da sustentabilidade. Eles se sentem muito orgulhosos de serem considerados como Defensores Ecológicos, e nós mais ainda por sentirmos que a iniciativa está dando certo 100%, atingindo centenas de alunos, pais, professores, educadores, cidadãos das comunidades em toda a nossa região. Todos juntos sentimos o prazer de poder defender a natureza e de contribuir com uma causa que é de todos nós e que nos valoriza como seres humanos e como cidadãos.”

O prefeito, agora, está empenhado em um projeto complementar que significa outra iniciativa inédita: montar a Rede de Defensores do Rio Doce, cujas estratégias, no mesmo rumo dos Defensores Ecológicos, objetivarão atingir toda a população de abrangência direta de Colatina – 140 mil pessoas em defesa da preservação de um dos mais importantes rios do país, o rio Doce. Um projeto exclusivo e inédito, cujo modelo ele pretende também levar aos prefeitos das cidades de todo o Vale do Rio Doce, onde, em 230 municípios, residem cerca de 4,5 milhões de pessoas e em que exercem suas atividades industriais mais de 50 empresas de grande porte, todas elas utilizando as águas do rio em escala crescente. Para o prefeito de Colatina, é preciso união para salvar o rio Doce, não o deixando, passivamente, caminhar para um amargo destino. Para que isso possa acontecer, o primeiro passo foi dado com os Defensores Ecológicos de Colatina, em que alunos e professores unidos atuam na prática com dezenas de ações e atividades pela vida.