20
fev2018

“Ficha suja está fora do jogo democrático”

Compartilhar com

Coordenar as eleições nacionais de 2018 será um dos principais desafios do novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luiz Fux, que tomou posse do cargo em 6 de fevereiro. À sessão solene, realizada no Plenário da Corte, em Brasília, compareceram os chefes dos Três Poderes: o presidente da República Michel Temer; o presidente do Senado ­Federal, Eunício Oliveira; e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia.

Membro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux substituiu o ministro Gilmar Mendes e ficará no cargo até 15 de agosto, quando se encerra seu biênio como ministro efetivo do TSE. Na mesma sessão, a ministra Rosa Weber foi empossada como vice-presidente da Corte.

A mesa da cerimônia foi também integrada pelo primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados, deputado Fábio Ramalho; a procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, e o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia.

Logo depois de prestar o compromisso regimental e assinar o termo de posse, o ministro Fux agradeceu aos discursos de abertura, realizados pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Napoleão Nunes Maia; pela procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, e pelo presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia.

Em seu primeiro pronunciamento como presidente do TSE, Fux mencionou a necessidade de renovação do País, processo no qual as eleições têm papel central. “Queremos um novo Brasil, e vivê-lo como a pátria amada significa olhar para o futuro com um novo despertar cívico da alma brasileira”, declarou. O ministro Fux lembrou que nesta empreitada contará com a dedicação dos ministros titulares e substitutos do TSE. “Tenho a certeza de que não caminho sozinho. Tenho em minha companhia a firmeza, a lisura e a cumplicidade institucional da ministra Rosa Weber, vice­-presidente, que está comigo nesta empreitada com a fidelidade e a fidalguia que lhes são peculiares. Uma mulher discreta, inteligente e notável”, disse (leia o discurso do novo presidente do TSE no final desta matéria).

Ministro Luiz Fux e a Procuradora-Geral Eleitoral Raquel Dodge