Glorificação ao Mérito

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Há cerca de um ano, em seminário sobre estudos jurídicos para estudantes de direito, realizado na cidade de Campos dos Goytacazes, fui instado pelo organizador do evento a fazer a apresentação do Desembargador Sérgio Cavalieri Filho, convidado a  pronunciar uma aula sobre direito civil, tendo me desincumbido como transcrevo: “A minha incumbência é fazer a apresentação da personalidade que fará a próxima palestra. Antes, porém, desejo, como jornalista e velho contador de histórias, dizer-lhes algumas palavras.

Na minha adolescência, por certo, como todos vocês, tive meu primeiro ídolo e herói. Foi meu pai, que era um homem extraordinário e que, além de ter sido meu grande orientador moral e cultural, me obrigava a ler obras da literatura pátria e universal. Um desses livros tem sido até hoje a minha leitura mais freqüente, pelos ensinamentos e reflexões que me proporcionam. Trata-se da obra ‘Dom Quixote de La Mancha’, o cavaleiro da triste figura, do grande escritor espanhol Miguel Cervantes de Saavedra.

O conteúdo deste livro, cheio de aventuras cômicas, algumas trágicas e dramáticas, outras repletas de ensinamentos e sabedoria, de coragem, fé inabalável, pureza, amor puro, renúncia e determinação, lições de moralidade e, sobretudo, ética, fez com que o Dom Quixote se transformasse também no meu herói e ídolo.

As aventuras de Dom Quixote, cujas ações frutificam pelo exemplo e pela força espiritual que irradiam, o tornam um símbolo vivo e personificação das virtudes essenciais.

Entre as grandes lições que Quixote nos legou como exemplo é a de que cada vez que recusamos uma ação por desacreditarmos na possibilidade de remover os obstáculos à nossa vontade, agiremos contra o espírito de Dom Quixote; e cada vez que desafiarmos realizar o impossível, esperando que Deus nos incentive e ajude em nossas ações, encarnaremos Quixote.

O amor que Quixote dedicou a sua amada Dulcinéia de Traboso é também algo sublime, por ser um amor espiritual e fidelidade-fim que substancia o ideal do amor.

O saudoso jornalista, jurista emérito, homem público de escol e magnífico professor, Santiago Dantas, no brilhante e explícito ensaio ‘Quixote – Um Apolo da alma ocidental’, disse sobre o cavaleiro da triste figura, sintetizando a grande obra literária: ‘Dom Quixote nos transmite uma lição de purificação do mundo pelo heroísmo, não por um heroísmo hercúleo, mas por outro feito de fé intangível, pureza perfeita e de um atributo que a todos resume: o dom de si mesmo.’

A aspiração de Dom Quixote à aventura – seu desejo de renovar, no mundo povoado de injustiças de seu tempo, a ação purificadora da andante cavalaria e de operar essa ação pelo dom de si mesmo – é, em si, um dos mais altos anseios a que tendeu o espírito humano e a provação a que se sujeitou para cumprir um drama do tipo messiânico.

A apologia que faço à figura de Dom Quixote – com seus propósitos, suas ações e exemplos de coragem, dignidade, moralidade, ética, intrepidez e determinação – se coaduna e muito com a personalidade do Desembargador Sérgio Cavalieri Filho, porque esse excepcional e ilustre professor de direito, culto e renomado jurista, que, em seguida, falará aos jovens estudantes de Campos dos Goytacazes, pautou sua vida profissional na busca e na prática dos mesmos princípios e ideais que Miguel Cervantes de Saavedra reservou para as ações de Dom Quixote de La Mancha, que está imortalizado universalmente como a figura literária mais emblemática  na defesa da moralidade, da ética, da pureza, da coragem e determinação em favor dos desprotegidos e injustiçados.

Caso vocês queiram se mirar e fixar na figura de um novo ídolo, um novo herói, eu, com grande satisfação e orgulho, lhes aponto o apresentado Desembargador Sérgio Cavalieri Filho, que é merecedor da sua glorificação e mérito.”

Por tudo aqui já dito e pela brilhante atuação do Desembargador Sérgio Cavalieri Filho na presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, que confirma nossa opinião sobre o ilustre magistrado, é que lhe dedicamos a capa e a principal reportagem deste número da Revista.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0
Cor da Pele (skin)
Opções de layout
Layout patterns
Imagens de layout em caixa
header topbar
header color
header position
X