14
jan2014

A revolução do mercado editorial

Compartilhar com

webdoor_selfpublishChegando agora ao Brasil, novo modelo de publicação permite que qualquer autor lance seus livros, a partir de um sistema simples e de custo reduzido. Entre as editoras que desenvolveram plataforma própria está a Editora JC, que oferece planos diferenciados para novos e consagrados autores.

Ainda pouco praticado no Brasil, o self-publishing (auto-edição, em tradução livre) consiste na publicação de conteúdos originais por seus próprios autores, em geral, apenas na versão digital, o e-book. Quem faz essa opção evita o tradicional – e muitas vezes infrutífero – caminho das editoras, que adotam diferentes critérios para publicar ou não um original encaminhado por um autor. Uma “peneira” que frustra ainda mais as expectativas dos novos escritores.

Por esse e outros motivos, o self-publishing está ganhando mais e mais adeptos. Pensando nisso, a Editora JC começa, a partir de 2014, a prestar o serviço de edição de livros e impressão sob demanda, no mais vantajoso modelo de self-publishing. Sim, porque o impeditivo para lançar um livro não termina na seleção de autores. Existe uma questão de custos que pesa sensivelmente, em especial os de impressão gráfica. No passado do offset, os autores tinham que arcar com um alto investimento e encontrar um lugar para armazenar os muitos exemplares da tiragem mínima – em torno de três mil exemplares. Não apenas isso, também se fazia necessário ter algum conhecimento das questões administrativas da edição, distribuição e comercialização do livro – uma operação de guerra para quem não é do ramo. “Se a facilidade da auto-publicação existe para eliminar a ‘peneira’ das editoras e para evitar as tiragens grandes e caras, um escritor que deseja ver seu texto publicado não escapa dessa complexa dinâmica. Ainda é trabalho para quem entende. É exatamente isso o que fazemos”, declara Tiago Salles, presidente do Instituto Justiça & Cidadania, que controla a Editora JC.

Autores interessados em lançar seus livros no sistema de auto-publicação podem encaminhar o material e assinar contrato digital com a Editora JC, em um dos planos disponíveis. No Básico, ele contará com a revisão do original, a criação artística da capa, diagramação e impressão, além da ficha catalográfica e ISBN. O pacote inclui a venda on line por demanda e a divulgação. A tiragem mínima é de 10 livros. No plano Plus, além de tudo o que está previsto no Básico, o autor contará com evento de lançamento e todo o material gráfico para divulgação (convites, folder e banner). “Em ambos os casos, o autor fica com 40% do lucro adquirido com a venda de cada exemplar”, informa Tiago Salles. Também para os dois modelos o prazo é de 90 dias, da entrada do original ao livro impresso. As vendas, no pacote que as preveem, são feitas pela distribuidora Singular, do Grupo Ediouro, que é controladora, dentre outras, da Editora Nova Fronteira e Agir, por meio da inclusão da obra em seu catálogo.

A Editora JC também trabalha com o modelo tradicional de publicação de obras literárias. Caso deseje, o autor pode submeter os originais, já registrados no Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional, para análise de viabilidade e interesse na publicação (impressa), com prazo de até 60 dias para resposta. Nesse período, o autor deve garantir opção exclusiva para a Editora JC. “Contatos sobre recusa ou aceite da publicação serão feitos por email. Havendo recusa, o material original será destruído”, diz o presidente da entidade e editor-executivo da Editora JC.

Fundada em 1999, com sede no Rio de Janeiro, a editora publica livros institucionais e periódicos segmentados, principalmente para as carreiras do Direito. A nova frente de atuação foi colocada em prática por meio de uma parceria firmada com a Singular e a Edigráfica. Com importante expertise na produção de obras literárias de cunho histórico de diversos Tribunais brasileiros, a empresa está aplicando todo o conhecimento de sua equipe de editores, pesquisadores, produtores e artistas gráficos nesse novíssimo segmento que promete mudar os rumos do mercado editorial brasileiro, como já está acontecendo no exterior.

Lançamentos

Um dos primeiros livros lançados pela Editora JC no sistema self-publishing é “Passeando pela vida”, escrito pelo desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Antonio José Ferreira de Carvalho. Na obra, as histórias criadas a partir de suas experiências de trabalho ganharam roupagem divertida ou dramática, sob o perspicaz olhar de um magistrado que tem a alma carregada de sutilezas. O livro reúne saborosas e intrigantes histórias onde têm lugar traições, adultérios, vícios, religiosidade, amor, ódio e muitas outras emoções humanas.

Buscando expandir sua atuação no ramo editorial, em 2013 a Editora JC lançou outros dois livros. “O dano moral no Trabalho” tem autoria do ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Guilherme Augusto Caputo Bastos. A obra revela um profundo conhecimento do tema, aliado à experiência do autor na magistratura e à preocupação na busca de critérios de quantificação do dano moral, assunto que, por sua complexidade, desafia os juristas. Em linguagem objetiva e fluida, pleno de ensinamentos e referências jurisprudenciais norteadoras de um tema que, no dia a dia forense, sempre apresenta novas nuances, a obra ganha o status de leitura e referência obrigatórias.

O autor também faz uma análise da competência da Justiça do Trabalho para apreciar os danos morais dentro de espectro de relacionamento empregatício, e também trata da prescrição do direito relacionado à tutela das ofensas morais. Além da análise do dano moral sob o enfoque do TST, o autor dedica atenção contextualizada na jurisprudência, conferindo-lhe tratamento e soluções que somente a experiência e o conhecimento são capazes de permitir. Para concluir, o autor se dedica ao levantamento dos parâmetros que têm sido utilizados pelas diversas Turmas do TST na fixação do valor compensatório das ofensas morais na busca de critérios que possam orientar os operadores do Direito na fixação do valor da compensação pecuniária dos danos morais. Portanto, todo o livro é conduzido a partir de uma perspectiva de operacionalidade que a diferencia de muitas obras jurídicas já lançadas pelo mercado editorial nesse segmento.

Colocando em prática as ações de responsabilidade social que conduzem a filosofia do Instituto Justiça & Cidadania, a Editora JC também lançou, como apoiadora, a décima edição do livro “REsp – Receitas Especiais”, escrito pela ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon. Atualizada, revisada e incluindo novos pratos, a obra é uma coletânea de receitas oferecidas pelos amigos e testadas pela autora. É um trabalho artesanal, com a contribuição de muitas mãos para a edição e venda dos livros. Os valores arrecadados são encaminhados para a Creche Vovó Zoraide, instituição localizada em Uberaba (MG), que realiza trabalho voltado às crianças.

“O nosso principal diferencial em relação a outras plataformas de self-publishing que estão surgindo agora no mercado é que trabalhamos exclusivamente com obras impressas. Assim, temos condições de prever possíveis reimpressões das obras que lançamos, uma tiragem que pode começar com um único exemplar até o número que o autor desejar”, conclui Tiago Salles. Outras informações podem ser obtidas pelo email livros@editorajc.com.br, aos cuidados de Tiago Salles. O endereço para envio dos originais é Avenida Rio Branco, 14, 18o andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ – CEP: 20090-000.

Cor da Pele (skin)
Opções de layout
Layout patterns
Imagens de layout em caixa
header topbar
header color
header position
X