Felipe: o construtor de pontes

19 de outubro de 2015

Compartilhe:

Ronaldo_CramerConheci Felipe na Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) no início da década 1990. Junto com Marcello Oliveira, hoje Presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Rio de Janeiro (CAARJ), participamos do movimento estudantil na nossa universidade. Felipe foi presidente do Centro Acadêmico e do Diretório Central dos Estudantes.

Desde aquela época, Felipe já se dedicava às causas dos outros e desejava contribuir para melhorar a realidade ao seu redor.

Lembro-me de que, certa vez, ele e eu estávamos em uma cerimônia em que discursava o então Presidente da OAB/RJ, e Felipe me disse: “Ronaldo, um dia a gente chega lá. Quero ser Presidente da OAB/RJ, quero poder defender a advocacia contra as arbitrariedades do Estado”.

E chegou. Graças à sua trajetória como advogado e como diretor da Seccional, em que foi o principal colaborador de Wadih Damous na histórica gestão de 2007-2012, Felipe é hoje Presidente da OAB/RJ. 

Sei de todas as renúncias que Felipe fez, principalmente o sacrifício de sua vida pessoal, para se tornar Presidente da nossa Seccional.

Como Presidente, além da defesa intransigente da advocacia, Felipe se notabiliza por ser um construtor de pontes, um homem que, sempre que possível, busca o diálogo para resolver os conflitos. 

Também é um gestor obcecado pela eficiência de sua administração. Não é incomum, por exemplo, ver Felipe discutindo o texto de um ato normativo da Seccional ou a organização de um evento na OAB/RJ.

Orgulho-me de estar ao lado dele durante todo esse tempo e de integrar a sua gestão à frente da Ordem.

Mas o melhor de tudo é ver que, depois de todos esses anos e de grande mandato à frente da Seccional, Felipe continua a ter sonhos, principalmente o sonho de melhorar cada vez mais a vida do advogado.

Assine nossa newsletter e receba a nossa revista digital, em primeira mão, no seu e-mail

Voltar ao topo